domingo, agosto 30, 2009

MARIZA

Um poema esotérico de Fernando Pessoa datado de Outubro de 1932.

1 comentário:

Baudolino disse...

Um bom casamento, este poema com tudo o resto. Não raras vezes esta coisa de 'musicar poemas' resulta em acidente com feridos graves, no mínimo. (a metáfora aqui utilizada por mim é sofrível e de mau gosto mas, com honestidade, foi o que me ocorreu)